Qual é o destino?

Sem-Título-1

Certo dia assisti a um vídeo muito interessante na internet sobre o sentido da vida (caso tenha curiosidade de ver, vou postá-lo novamente em meu Facebook). Era uma palestra de um astrofísico americano que foi surpreendido por um menino de seis anos que fez a seguinte pergunta: “Qual é o sentido da vida?”. Uma pergunta genial e uma resposta melhor ainda: “Que tal se criássemos o sentido que queremos para a nossa vida?”.

 

Mencionei o trecho acima para dizer que o mesmo acorre nas equipes. Que tal se ao invés de perguntarmos qual é o caminho que devemos seguir, perguntássemos primeiro qual é o destino que queremos criar para a nossa equipe? As sinapses, as ideias, o foco são completamente diferentes. Com um destino específico a jornada tem outro sentido.

 

Muitos são os benefícios da criação de metas para a equipe e, como estamos falando de metas e a especificidade é importante, vamos a alguns exemplos:

  • Saber aonde se quer chegar traz senso de direção para a equipe, as ações diárias passam a fazer parte de um plano estratégico. Óbvio, não é mesmo? É o óbvio que deve ser repetido para jamais ser esquecido!
  • Ter senso de direção traz foco ao trabalho. As conversas, os conflitos, as ideias criativas, os recursos, são direcionados a um objetivo comum.
  • O objetivo comum traz em si valores importantes para a equipe, que serão a base dos relacionamentos e tomada de decisões.
  • Os valores trazem a energia necessária para a conquista do objetivo comum.

 

Lembrando que tudo isso é criado pelos membros da equipe com o auxílio do coach de equipes (ou de um líder com formação em coaching de equipes), o que os empodera, traz o senso de pertencimento, é o famoso “vestir a camisa” que todos os líderes buscam. Perceba, no entanto, que para vestir a camisa de verdade é essencial envolver os colaboradores no processo de criação. Logo, ao desenhar as metas, o desafio é fazer com que elas sejam realmente da equipe, que sua concepção traduza as aspirações de todos (organização e membros da equipe).

 

Se você não sabe aonde sua equipe quer chegar, lembre-se de que às vezes é bom estar perdido para encontrar o caminho. E, para te ajudar, deixo algumas perguntas para você refletir com a sua equipe e agir:

  • Qual é o destino da nossa equipe?
  • Aonde queremos chegar?
  • Quando queremos chegar lá?
  • Como descrevemos a nossa equipe hoje?
  • Como queremos que ela seja?
  • Quais são os benefícios dessa conquista?
  • Qual é o primeiro passo que podemos dar rumo a conquista?

 

Ah, lembre-se da regra de ouro: antes de pensar qual é o caminho a ser percorrido, defina aonde a sua equipe quer chegar (o que antes do como).

Um abraço e até a próxima!

FacebookTwitterLinkedInGoogle+
23/03/2015 - Autor: Luciano Viana
Voltar à categoria Equipes
posts em:
Mais Sobre
Cadastre-se e receba as novidades:
Autores
  • Karina Pittini Braz

    Licenciada en Psicología y ICC International Trainer

    Montevideo - Uruguay

  • Luciano Viana

    Coach e trainer pela International Coaching Community

    São Paulo - Brasil

  • Dr. Karyn Trader-Leigh
    Consultant and ICC
    Certified Coach

    Washington, D.C. - EUA
Vídeos
[+] Ir para vídeos
Ferramentas
-->